André Soma, que falava à imprensa no final da visita realizada hoje por uma delegação da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), maior partido da oposição em Angola, disse que Luanda tem neste momento 106.000 alunos fora do sistema de ensino.

“Com esta autorização (do executivo) teremos no sistema mais de 4.000 professores, que serão admitidos, e se falamos de 106.000 alunos fora do sistema de ensino em Luanda, com a abertura de escolas, nos próximos dias, vamos reduzir para cerca de 55.000 alunos”, disse.

O diretor provincial de Educação de Luanda adiantou igualmente que, para o ano letivo que teve início a 01 de fevereiro, a província deverá igualmente contar já com a “entrada em funcionamento das escolas da Vila Pacífica, no município de Luanda, e Mutu-Ya-Kevela”, o ex-Liceu Salvador Correia.

“Vamos ganhar mais de 300 novas salas de aula. Não há qualquer atraso porque nós mesmo depois da abertura do ano letivo temos 90 dias para uma escola ainda poder ser aproveitada em termos letivo”, explicou.

Publicidade