A informação foi anunciada, esta quarta-feira, em Bruxelas, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Uma outra fonte do executivo adiantou que as datas da deslocação do chefe do Governo português a Angola ficaram fechadas na segunda-feira passada, por ocasião da visita a Lisboa do ministro das Relações Exteriores angolano, Manuel Domingos Augusto.

Na segunda-feira, após ter estado reunido com Manuel Domingos Augusto, o primeiro-ministro considerou que as relações diplomáticas entre Portugal e Angola atravessam agora “um momento auspicioso” com as autoridades dos dois países a retomarem as visitas oficiais de alto nível.

“Recebi o ministro das Relações Exteriores de Angola num momento auspicioso para o relacionamento entre os nossos países com o retomar das visitas de alto nível. A minha visita a Angola renovará o dinamismo dos laços que unem Portugal e Angola, os nossos povos e empresas”, escreveu o primeiro-ministro na rede social Twitter.

No início dessa mesma reunião, António Costa recebeu do ministro das Relações Exteriores de Angola uma carta do presidente angolano, João Lourenço, que disse traduzir “um sinal das boas relações” entre os dois países.

Aproveitando a presença da comunicação social para a recolha de imagens no início da reunião, o ministro das Reações Exteriores de Angola anunciou que era portador de uma carta do chefe de Estado angolano, João Lourenço, destinada ao primeiro-ministro português.

António Costa recebeu o envelope fechado, em formato A4, tendo Manuel Domingos Augusto adiantado logo uma explicação para este ato diplomático: “É um sinal das boas relações” entre os dois países, disse.

Publicidade