Cabo Verde negoceia com a UE reforço e alargamento da parceria especial

0

O Governo de Cabo Verde está a negociar com a União Europeia (UE) o reforço e alargamento da parceria especial, visando a introdução de novos pilares num processo virado para alavancar o desenvolvimento nacional.

A informação foi avançada hoje pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, na Cidade da Praia, durante a abertura da jornada de apresentação dos projectos aprovados na primeira convocatória da MAC 2014/2020, (Madeira, Açores e Canárias) no montante global de 126,5 milhões de euros.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana afirmou que este programa projecta reforçar a investigação e o desenvolvimento tecnológico e inovação, melhorar a competitividade das pequenas e médias empresas e a promoção da adaptação das alterações climáticas em prevenção de gestão de riscos.

Consta ainda dos propósitos de Cabo Verde no MAC 2014/20, a conservação e protecção do ambiente, enquanto outro eixo importante e estratégico para o desenvolvimento do país, assim como o reforço da capacidade institucional e eficiência da administração pública, como sendo fundamental para a melhoria do ambiente do negócio nesta cooperação.

Luís Filipe Tavares assegurou que os contactos em curso com os estados membros da UE são muito positivos e que o executivo pretende estar nos próximos anos muito mais integrado na Macaronésia e nos países vizinhos da região africana, e com uma parceria muito mais alargada e muito mais forte com a UE, num processo que, “vai alavancar o desenvolvimento de Cabo Verde”.

Estas jornadas, explicou, realizam-se num momento importante para Cabo Verde, porque a apresentação destes projectos mostra, claramente, que o pilar de integração regional é importante tanto para o país como para a União Europeia.

O ministro sublinhou que os projectos apresentados nestas jornadas testemunham a importância deste pilar – integração regional – na perspectiva Madeira/Açores/Canárias e Cabo Verde e afiançou que o Governo tudo está a fazer para melhorar o ambiente de negócios, favorável ao desenvolvimento do sector privado, enquanto eixo estratégico fundamental para a actuação do governo.

Luís Filipe Tavares fez questão de enaltecer o “apoio extraordinário” que a UE e os estados membros, incluindo os arquipélagos das Canárias, dos Açores e da Madeira, têm vindo a dar a Cabo Verde, no âmbito deste programa MAC 2014/2020.

Este apoio, no entender do governante, denota a importância que a UE dá a integração regional e as regiões ultraperiféricas da Europa.

Publicidade