A compositora, cantora e guitarrista, que se encontra em digressão internacional, vai, igualmente, dar a possibilidade de o público fazer perguntas sobre o processo de produção dos temas que compõem o álbum que sucede “Insular”.

A artista apresenta o disco na quarta-feira no estado de Belo Horizonte, Brasil, e regressa na próxima semana a Portugal para apresentar o trabalho sexta-feira, na Casa da Música, no Porto, e no dia 29 de Novembro, no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa, onde havia sido apresentado pela primeira vez após ser editado.

A digressão da cantora passa por Coimbra, dia 14, Suíça, 18, Alemanha, 22 e 23, onde regressa no próximo mês de Janeiro, a 26, Postdam, e em Maio, onde tem uma série de cinco apresentações nos dias 10, 12, 13, 14 e 15, em Munique, Bremen, Viena, Frankfurt e Freiburg.

O disco foi gravado no Rio de Janeiro, uma cidade de significativas influências e cumplicidades musicais para a autora. Os 11 temas que compõem o CD cantados em crioulo, português e francês, nos géneros pop, falam de uma forma geral sobre igualdade das mulheres que a inspiram, das forças da natureza que seguram o céu, o mar e os corações apertados deste mundo e um pouco da história dos seus últimos dez anos, de forma recriada.

Aline Frazão compôs a maior parte dos temas, tendo também a responsabilidade da produção musical.

“Dentro da Chuva”, que já foi apresentado em Luanda, teve o contributo do violoncelista Jacques Morelenbaum, do percussionista Zero Telles, do músico Gabriel Muzak e da cantora e compositora Luedji Luna (brasileiros), do músico português João Pires (dos Cordel), com quem Aline Frazão faz dueto numa das canções, e do cabo-verdiano Danilo Lopes da Silva.

Publicidade