China vai atribuir a São Tomé e Príncipe “verbas importantes” nos próximos cinco anos

0
Presidente Chinês recebe Primeiro-Ministro de S. Tomé e Príncipe
Presidente Chinês recebe Primeiro-Ministro de S. Tomé e Príncipe

O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada, anunciou hoje que a China vai disponibilizar ao seu país “verbas importantes” nos próximos cinco anos, considerado que Pequim “passou a ser, de longe, o primeiro parceiro bilateral” do arquipélago.

“A China vai disponibilizar verbas importantes nesses cinco anos em termos de donativos e eu, do meu lado, frisei o engajamento pessoal e do meu Governo para que essas verbas sejam utilizadas da melhor maneira e que sirvam, de facto, para alavancar a economia são-tomense”, disse Patrice Trovoada em entrevista a Televisão Publica são-tomense (TVS).

O chefe do executivo são-tomense que termina hoje uma visita de trabalho à República Popular da China, não avançou o montante da verba prometida pelas autoridades de Pequim, sublinhando, no entanto, que se trata “um montante bastante importante que demonstra a vontade da China de cooperar”.

“Compõem-se de donativos, compõem-se de ajuda orçamental, compõem-se de perdão da dívida antiga que nós tínhamos com a China e toda uma série de ações de cooperação e tudo isso contabilizado é um montante bastante importante que demonstra a vontade da China de cooperar”, explicou Patrice Trovoada, que prometeu “entrar em detalhes” quando regressar ao seu país.

Patrice Trovoada fazia referência à assinatura, no dia 12, do acordo geral de cooperação entre os dois países, acordo que levou o primeiro-ministro são-tomense a considerar que “a China passou a ser, de longe, o primeiro parceiro bilateral de São Tomé e Príncipe”.

O governante são-tomense disse que durante uma audiência com o Presidente chinês, Xi Jinping, abordou os vários domínios em que, no seu entender, s dois países devem cooperar.

“Ele acha que podemos cooperar, nomeadamente, em infraestruturas como o porto, aeroporto, estradas, cidade administrativa, turismo e abordou-se a agricultura e pesca, questões ambientais, segurança marítima, formação de quadros”, disse Patrice Trovoada.

O chefe do Governo são-tomense disse que recebeu “sinais fortes do Estado chinês, do Presidente e do primeiro-ministro, do partido comunista de que de facto querem que essa relação corra bem”.

“São relações que começam agora, criámos uma boa base de confiança”, explicou Trovoada, que disse ter prometido ao Presidente chinês que “essa confiança criada entre os dois países será “baseada na amizade, na sinceridade, na confiança, na verdade e na boa-fé” e que “terá a cada passo que dar provas”.

O primeiro-ministro referiu-se ainda a promessas do Governo chinês de apoio ao executivo são-tomense e a empresas privadas na obtenção de financiamentos de instituições financeiras chinesas para projetos de infraestruturas.

Patrice Trovoada espera “capacidade, seriedade, trabalho e bastante realismo” das autoridades governamentais e privadas do seu país em fazer “uma utilização criteriosa e bem pensada desses donativos”.

“Essa nova era de cooperação com a China é fundamentalmente para transformar São Tomé e Príncipe e o compromisso entre as duas partes é que pelo menos um grande projeto possa arrancar ainda este ano”, concluiu.

São Tomé e Príncipe cortou em dezembro passado as relações diplomáticas com Taiwan, passando a reconhecer a República Popular da China e Pequim como o único Governo chinês legítimo.

Publicidade