O diretor-geral das Comunidades, Malam Sambu, foi detido depois de ter sido ouvido durante o período da tarde nas instalações da PJ em Bissau, segundo fonte daquela força policial.

Em causa está um pedido de atribuição de visto de entrada para o espaço Schengen a três pessoas para uma missão de sensibilização na diáspora guineense em Itália sobre a sua participação no processo eleitoral.

“A PJ tem indícios fortes que está a favorecer a emigração ilegal”, disse a fonte.

Segundo a mesma fonte, o diretor-geral da Comunidades será presente ao Ministério Público, que pode requerer a prisão preventiva ou aplicar outra medida de coação.

Na Guiné-Bissau, as eleições legislativas, previstas para 18 de novembro, elegem deputados pelo círculo de África e círculo da Europa.

No círculo de África, podem votar os guineenses que residirem no Senegal, Gâmbia, Cabo Verde, Guiné-Conacri e Mauritânia enquanto no círculo da Europa há a possibilidade de voto para os guineenses que vivem em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Bélgica, Holanda e Luxemburgo.

Publicidade