Os dados foram hoje avançados pelo presidente do Conselho de Administração da Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam), Eugénio Bravo da Rosa, num encontro com as operadoras do setor para a apresentação das suas realizações de mercado.

Segundo Eugénio Bravo da Rosa, o valor arrecadado corresponde a 1,5 milhões de quilates comercializados ao preço médio de 167,96 dólares (147 euros) por quilate.

Eugénio Bravo da Rosa salientou que 93% dos diamantes vendidos corresponde a 93% da produção industrializada e o restante à artesanal, comentando que se tem vindo a registar “um aumento crescente dos preços dos diamantes”.

Na última reunião do género, realizada em julho, os dados avançados pela Sodiam davam conta de uma faturação no segundo trimestre de mais de 300 milhões de dólares (257,2 milhões de euros).

A receita bruta proveniente da atividade de comercialização de diamantes, essencialmente oriunda das províncias da Lunda Sul (85%) e da Lunda Norte (15%), foi de 316,5 milhões de dólares, dos quais 295 (93,2%) foi proveniente da atividade industrial e 21,5 milhões de dólares (6,8%) da artesanal.

Durante o segundo trimestre, a Sodiam teve um volume de comercialização total de 2,3 milhões de quilates, vendidos ao preço médio de 136,69 dólares por quilate, mais 12 dólares que no primeiro trimestre.

Angola tem como meta de produção para 2018 cerca de nove milhões de quilates.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here