Djodje participou no primeiro volume do projecto Team de Sonho lançado em 2013
Djodje participou no primeiro volume do projecto Team de Sonho lançado em 2013

Vinte e cinco artistas, entre nacionais e estrangeiros, aquecem, hoje, o Estádio dos Coqueiros, em Luanda, no primeiro de dois concertos da segunda edição do projecto “Festa da Música”.

O festival inicia às 14h00, após a abertura dos portões, para evitar enchentes e constrangimentos à entrada, com aulas de dança tradicional dirigidas pelo grupo Kussanguluka e danças modernas com As Africanas.

A dupla Djeff Afrozilla e BZB inauguram, às 15h00, os palcos “Unitel” e “Kison”. Os Dj apresentam uma selecção musical escolhida ao pormenor, para animar e “aquecer” o público que vai enfrentar a temperatura a rondar entre os 25 e os 20 graus centígrados previstos para hoje. A produção do concerto informou ao Jornal de Angola que os cantores começam a subir ao palco a partir das 18h00.

Bambila, Yola Araújo, Puto Português, Jay Oliver, Irina Vasconcelos, Landrick, Edmásia Mayembe, Anna Joyce e Yannick Afroman, Cage One, Cabo Snoop, Dji Tafinha, Preto Show, Titica, os grupos Zona 5, Projecto X, O Trio, MOB e Elenco de Luxo são as vozes angolanas confirmadas para o concerto de hoje. Cada artista realiza uma performance de 15 minutos, com o suporte de uma banda integrada por instrumentistas nacionais, com os quais têm ensaiado há duas semanas. A presença da banda brasileira Dream Team do Passinho vem contribuir para diversificar as propostas musicais que o festival oferece ao público.

Pela primeira vez em Angola, o quinteto de funk traz a Luanda temas do disco de estreia “Aperte o play”, editado pela Sony Music, e do single “Vida”, um dueto com Ricky Martin, líder de concursos radiofónicos e televisivos no mercado da música moderna na América Latina.

Além da diversidade musical, que passa pela evangélica, soul/r&b, gueto zouk, zouk, kizomba, semba, kuduro, afro house, rap e música alternativa, o festival apresenta um vasto programa que inclui ainda o humor e uma zona de diversão para crianças.
Kotingo é o mestre de cerimónia e aproveita o seu tempo para contar sátiras inspiradas no quotidiano angolano. A promoção da prática de actividades físicas é outra proposta trazida pelo festival, onde os jogos de várias modalidades têm o seu espaço “além de que o público vai ser instruído por um professor de educação física.”

O produtor do festival disse que vários espaços de lazer são montados em zonas específicas para permitir que todos se divirtam sem constrangimentos, sobretudo as crianças e idosos.

“Tudo está a ser preparado ao pormenor, para que seja uma tarde agradável e inesquecível para as famílias que se deslocarem ao Estádio dos Coqueiros”, fez saber Cayaya Júnior, que explicou que os artistas foram escolhidos com base na qualidade dos seus trabalhos e que os mesmos vão fazer uma demonstração do crescimento da música angolana no país e no exterior.

A Festa da Música visa promover a cultura angolana, motivo pelo qual faz um casamento entre a feita por angolanos e a divulgação das histórias e rituais de várias regiões e grupos étnicos, através da demonstração da dança contemporânea e moderna, referiu ao Jornal de Angola o director de Marketing da Unitel, empresa que realiza o festival com produção da Step, com uma equipa de 270 profissionais. Miguel Soares explicou, por outro lado, que o projecto, integrado na responsabilidade social da operadora de telefones, surge como oferta aos clientes fiéis de todas as faixas etárias. O espectáculo de amanhã tem os mesmos atractivos, mas os cantores confirmados são outros: Yola Semedo, Matias Damásio, Anselmo Ralph, Ary, Kyaku Kyadaff, Café Negro, Leo, Maya Zuda, B26, Damagical, TRX, Telma Lee, Nerú Americano, Zoca Zoca, Café Negro e o Dj Ritchelly.
As novidades são os músicos cabo-verdianos Johnny Ramos e Djodje.
Os bilhetes de acesso estão disponíveis em todas as lojas da operadora Unitel de Luanda, onde podem ser adquiridos na compra de cartões de recarga.

A produção disponibilizou 20 autocarros, de 150 lugares cada, com horários e rotas específicas para garantir o transporte das pessoas que residem em zonas distantes do centro da cidade, onde está localizado o recinto que vai albergar o festival, o Estádio dos Coqueiros.

Os autocarros partem das paragens principais de transportes colectivos, nomeadamente do Benfica; Golfe II; Mercado do São Paulo; Clínica Multiperfil (Morro Bento) e Largo das Escolas, a partir das 12h00 e do palco do festival(Estádio dos Coqueiros), no sentido inverso, a partir da uma hora da madrugada.

Cabo-verdiano Djodje actua com banda

Djodje é uma das atracções de amanhã, no Estádio dos Coqueiros, no segundo espectáculo da Festa da Música, no qual se apresenta pela primeira vez em Angola com a sua banda.
O cantor cabo-verdiano, uma das novidades do festival, traz um excerto da sua digressão, denominada “Like la ki nos é bom” apresentada este ano no Coliseu de Lisboa, em França e em Luxemburgo.

A actuação é repleta de músicos energéticos, como Ndu Carlos (bateria), Paulo Sérgio (teclas), Luciano Vasconcelos (baixo), Dodas Spences (guitarra) e Mário Marta (coros).
O cantor traz a Angola uma mão cheia de sucessos sobejamente conhecidos pela juventude angolana que aprecia músicas modernas, sobretudo os géneros gueto zouk e zouk. Os temas “Uma chance”, “Namora comigo” e “Bom vibe” são os mais esperados pelos seus seguidores.

O cantor e compositor classifica a sua performance  no espectáculo como especial, “porque vou-me apresentar num conceito diferente daquele que os angolanos estão habituados a ver.”

Em entrevista exclusiva ao Jornal de Angola, o artista Djodje disse que o público angolano vai conseguir perceber quem é musicalmente e que traz igualmente algumas novidades desconhecidas por muitos apreciadores do seu trabalho.

“Estudo a possibilidade de tocar bateria, um instrumento que executo com naturalidade”, referiu Djodje sem confirmar o acto.

Nas presenças anteriores do cantor em Angola, fez actuações em playback nos concertos de Pérola no Cine Atlântico, em Luanda, e em Benguela, por ocasião da apresentação do disco da angolana, intitulado “Mais de mim”, no qual produziu e compôs o tema “Masuké”.
Cabo Verde e Portugal são os próximos compromissos confirmados pelo artista, que quer levar a sua música a São Tomé e Príncipe e Moçambique, esse último país onde anseia actuar pela primeira vez ainda este ano.

Publicidade