Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo de Verde
Ulisses Correia e Silva, primeiro-ministro de Cabo de Verde

O Fundo Monetário Internacional prevê um crescimento de 4% para Cabo verde para ano de 2017. O chefe do executivo, Ulisses Correia e Silva, assegurou que estas previsões estão alinhadas com as medidas de política e de reforma que o governo está a implementar.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, mostrou-se optimista com os dados do FMI que apontam para um crescimento de 4% para Cabo Verde em 2017, sustentado no saldo da balança das contas externas e no crescimento económico do país em 2016.

“Saltar para 4% é um bom indicador. Melhorar o ambiente de negócios, criar novos mecanismos de financiamento que já estão em curso para permitir que os empresários nacionais tenham acesso mais facilitado ao crédito. (…) Pensamos que as medidas adoptadas pelo banco de Cabo Verde, recentemente, poderão ter um efeito positivo no financiamento, que é um dos grandes estrangulamentos”, referiu.

O chefe do executivo cabo-verdiano assegurou que estas previsões estão alinhadas com as medidas de política e de reformas que o governo está a introduzir. Ulisses Correia e Silva destaca igualmente a melhoria do ambiente de negócios e da confiança dos investidores.
“Temos metas para reduzir para 5% a pobreza extrema e para a pobreza relativa para 16% ainda nesta legislatura. Quer dizer que o país tem de crescer mais”, concluiu.

Publicidade