“A Guiné-Bissau é hoje um país aberto, seguro e determinado para receber investimentos. Para quem ainda não se deu conta, estamos precisamente no ponto exato em que o momento é adequado para a opção de investir na Guiné-Bissau”, afirmou José Mário Vaz.

O Presidente falava no Complexo Agro Industrial de Cumeré, 40 quilómetros a norte de Bissau, que visitou acompanhado de investidores e de diretores-gerais dos bancos comerciais da Guiné-Bissau.

Segundo o chefe de Estado, a opção de investimento é uma escolha racional devido às “oportunidades bem reais e diversificadas”.

“Mas para que tudo isto seja uma realidade para todos, o setor privado tem de reforçar o seu peso na economia, potenciando a sua capacidade de criação de emprego e riqueza”, afirmou, salientando que um setor privado produtivo e competitivo é fundamental para atrair investimento.

Portanto, acrescentou, é preciso “pôr o país a funcionar e a economia a crescer”.

O Presidente guineense pretende revitalizar aquele complexo, criado pelos guineenses nos anos 1970 para fazer crescer a economia do país através da transformação de produtos agrícolas.

Publicidade