Guiné-Bissau: Secretário-geral da UNTG responsabiliza políticos pela disparidade dos números de funcionários nos bancos de dados

0
42

O Secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) responsabilizou os políticos pela disparidade que existe nos bancos de dados, nos Ministérios das Finanças e da Função Pública.

Estevão Gomes Có que falava hoje aos jornalistas disse que os mesmos politizaram a administração pública, acrescentando que cada responsável político nomeado leva certo número de pessoas para o Ministério  que dirige.

Disse contudo que a UNTG não foi informado sobre o bloqueio de salários de alguns funcionários públicos por parte governo.

Informou que após tomarem o conhecimento de que o Ministério da Função Pública está a fazer controlo sobre a disparidade dos números do pessoal da administração pública existentes nos bancos de dados entre os Ministérios da Função Pública e das Finanças, enviou uma carta ao governo pedindo uma reunião de emergência do Conselho

Permanente de Concertação Social para obter mais informação sobre o assunto por parte do executivo, e que não obteve resposta.

Estevão Gomes Có lamentou que, apesar do empenho e esforço daquela organização, o executivo não honrou o seu compromisso dentro do prazo de seis meses, para proceder ao rejuste salarial, cuja reivindicação  culminou com uma greve de três dias na Função Pública.

Questionado sobre o novo recenseamento dos funcionários públicos cujos salários foram cancelados  em Setembro, Estevão Gomes Có respondeu que o Ministério da Função Pública descobriu um grosso número de funcionários no banco de dados das Finanças que não existe naquela instituição.

Publicidade