“Quero partilhar a minha profunda inquietação face à problemática da segurança eleitoral. É deveras urgente que as autoridades políticas se pronunciem o mais rapidamente possível sobre a nomeação de um ministro do Interior de forma a agilizar devidamente os aspetos sensíveis do processo eleitoral”, afirmou José Pedro Sambu.

O presidente da CNE guineense falava na cerimónia de tomada de posse dos membros não permanentes dos partidos políticos aprovados pelo Supremo Tribunal da Justiça como candidatos às eleições legislativas de 10 de março.

Em declarações aos jornalistas na sexta-feira, o ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares, Agnelo Regala, disse também que o Governo está preocupado com o atraso na indigitação do ministro do Interior.

“Sabemos que houve conversas entre o primeiro-ministro e o Presidente da República, houve inclusive uma carta apresentando uma proposta ao Presidente da República e esperamos que quando o primeiro-ministro regressar ao país tenhamos um ministro Interior indigitado, porque o país não pode ir a eleições sem um ministro do Interior”, disse Agnelo Regala.

No início de novembro, o Presidente guineense, José Mário Vaz, exonerou o ministro do Interior, Mutaro Djaló, a pedido do primeiro-ministro, depois da violência usada pela polícia do país para dispersar uma manifestação de estudantes, com recurso a bastões e granadas de gás lacrimogéneo.

A Guiné-Bissau realiza eleições legislativas a 10 de março e a campanha eleitoral arranca a 16 de fevereiro.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here