Ministros e autoridades do turismo de oito países participaram na manhã de ontem (29) da IX Reunião de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). O encontro, liderado pelo ministro do Turismo do Brasil, Marx Beltrão, aconteceu durante o 12º Festival das Caratas, em Foz do Iguaçu (PR). Na ocasião, as autoridades discutiram o Plano Estratégico de Cooperação em Turismo da CPLP e assinaram a Declaração de Foz do Iguaçu.

O plano foi elaborado pelo Brasil e tem entre as medidas previstas a promoção do desenvolvimento sustentável turístico nos países de língua portuguesa, além da manutenção das relações multilaterais entre eles. Já a Declaração de Foz do Iguaçu mostra um comprometimento das autoridades que a assinaram, junto a seus países, com o desenvolvimento social e econômico e fomento nas discussões sobre cultura, trabalho infantil e poluição de oceanos.

Para o ministro Marx Beltrão, a reunião exalta a cultura da língua portuguesa e a parceria entre os países. “Essa parceria estreita os laços entre os membros, ajuda a desenvolver o turismo sustentável e promover a cultura e os produtos locais. Promovemos também a aplicação de tecnologias no ambiente do turismo e incentivamos pequenas e médias empresas do setor a terem acesso a financiamentos e crescerem no mercado”, explicou.

IX Reunião de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)
IX Reunião de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Além do Brasil, estiveram presentes à reunião representantes dos demais países membros do grupo: Angola, Cabo Verde, Moçambique, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. O encontro permitiu a troca de conhecimento e ações conjuntas para o desenvolvimento do turismo nos países.

Cooperação

Ainda durante a manhã foi realizada uma reunião bilateral entre os ministros de turismo do Brasil, Marx Beltrão, e de Angola, Paulino Domingos Baptista, para tratarem sobre medidas de incentivo do turismo no país africano, além da qualificação de seus profissionais. O ministro angolano pediu que o Brasil, por meio de sua experiência, auxilie seu país nas questões turísticas.

Publicidade