“As trocas comerciais entre os nossos países têm uma contribuição importante no nosso crescimento económico e, assim, sentimos que há necessidade de maximizarmos as nossas vantagens por forma a que consigamos promover a competitividade das nossas economias”, declarou o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi.

O chefe de Estado moçambicano falava durante um almoço de trabalho com o seu homólogo sul-africano, Cyril Ramaphosa, que faz uma visita de trabalho de um dia a Moçambique.

Para Filipe Nyusi, além do setor económico, é urgente que os dois governos encontrem mecanismos que “possibilitem maior fluidez” noutros setores de cooperação, uma forma de mostrar respeito pelos “laços históricos” que existem entre as duas nações.

Segundo o chefe de Estado moçambicano, a aprovação de um memorando de entendimento sobre a cooperação económica entre os dois Estados deve ser uma prioridade e a realização da 3.ª Sessão da Comissão Binacional Moçambique-África do Sul, a decorrer no próximo ano em território sul-africano, pode servir para discussão detalhada deste documento.

“Acreditamos que este instrumento, complementado por outros, possa encorajar o investimento de empresários moçambicanos nos territórios sul-africano e vice-versa”, declarou Filipe Nyusi.

Por sua vez, o Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, lembrou as relações históricas que existem entre Moçambique e África do Sul, destacando que os povos das duas nações devem perceber que têm as mesmas raízes.

“Nós estamos aqui para fortificar as relações entre Moçambique e África do Sul, consolidando as suas bases e fundações”, observou o chefe de Estado sul-africano, acrescentando que os interesses económicos serão uma prioridade.

“Há vários objetivos comuns que podem levar os dois países a prosperidade a nível económico”, referiu Ramaphosa, observando que Comissão Binacional Moçambique-África do Sul tem sido uma plataforma útil e vai trazer ganhos para as duas nações.

O “nosso objetivo é garantir que haja paz e prosperidade nas nossas nações e também na região”, concluiu o Presidente sul-africano.

Cyril Ramaphosa, que é também presidente em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), tomou posse em fevereiro e realizou a 02 de março a sua primeira visita de Estado, escolhendo como destino outro país lusófono da SADC, Angola.

O chefe de Estado sul-africano segue ainda hoje para o Zimbabué, onde manterá encontro com o seu homólogo daquele país, Emmerson Mnangagwa.

Moçambique e África do Sul partilham uma extensa linha de fronteira e são importantes parceiros comerciais e económicos.

Cerca de dois milhões de moçambicanos residem na África do Sul, onde trabalham nas minas e campos agrícolas e um número significativo opera no setor informal da economia sul-africana.

Publicidade