“Vai ser necessário continuar a trabalhar, para podermos, no principio do próximo ano, ir ter com todos, num fórum, para pedir a autorização geral dos credores para a mudança dos instrumentos” que sustentam a dívida, referiu.

O governante falava aos jornalistas, em Maputo, à margem de uma conferência sobre a economia moçambicana organizada pela publicação Financial Times.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here