PM de Cabo Verde admite “mexidas” no governo

0
Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva
Primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, deu uma entrevista à Televisão e Rádio de Cabo Verde para fazer o balanço do primeiro ano de governação. Ulisses Correia e Silva admite “reajustar” o governo e garante que “o crescimento anual a 7% vai ser possível”.

O chefe do executivo, Ulisses Correia e Silva, deu uma entrevista à Televisão e Rádio de Cabo Verde para fazer o balanço do primeiro ano de governação. Ulisses Correia e Silva diz que o governo “está a corresponder” às suas expectativas, porém admite “reajustar” o governo.

“Os ajustamentos que terão de ser feitos serão anunciados em breve”, garantiu o primeiro-ministro de Cabo Verde.

Ulisses Correia e Silva falou ainda da experiência de chefiar um governo de apenas 12 ministros, referindo que “tem sido um momento de aprendizagem de relacionamento” entre sectores diferenciados, num sistema muito mais condensado e que permite uma “boa articulação”.

O chefe do executivo cabo-verdiano esteve cerca de quarenta minutos a falar da TACV- Transportadora Aérea de Cabo Verde. Ulisses Correia e Silva disse que até ao mês de Julho serão divulgados os dois parceiros para a privatização da empresa.

Sobre a decisão da TACV deixar de realizar os voos inter-ilhas, o primeiro-ministro reiterou que a Binter Cabo Verde vai assumir as rotas domésticas e regionais.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse ainda que “o crescimento anual a 7% vai ser possível”.

Publicidade