PR acredita que agricultura e mar quase resolvem os problemas do país

0
JOSÉ MÁRIO VAZ, PRESIDENTE DA GUINÉ-BISSAU
JOSÉ MÁRIO VAZ, PRESIDENTE DA GUINÉ-BISSAU

José Mário Vaz falava num comício popular no sector de Pirada, a 260 quilómetros a leste de Bissau, no segundo dia de contacto com a população para se inteirar da realidade e ouvir as suas preocupações.

Vários elementos da população pediram ao chefe de Estado a construção de estradas e escolas, melhoria de condições do hospital local e ainda o abastecimento de água potável para beneficiar pelo menos 15 mil habitantes de Pirada e arredores.

O chefe de Estado disse que, quando voltar à Pirada “para fazer campanha” – para a sua reeleição na presidência guineense espera ter a estrada alcatroada e os problemas de escola, saúde e água potável resolvidos.

“Se controlarmos a nossa fronteira terrestre e marítima, se apostarmos na agricultura e vigiarmos bem o nosso mar, vamos resolver quase todos os nossos problemas”, defendeu o Presidente guineense.

Pediu melhor controlo aos postos fronteiriços do país, nomeadamente o de Pirada, um dos mais importantes centros de entrada de mercadorias de países vizinhos para o abastecimento do mercado guineense.

Disse também que, enquanto for chefe de Estado, vai garantir que ninguém irá usar o território guineense para desestabilizar países vizinhos tais como o Senegal e a Guiné-Conakry, com os quais, afirmou, a Guiné-Bissau irá ter “sempre boas relações”.

Pediu desculpa à população de Pirada por só agora os estar a visitar, praticamente três anos depois da sua eleição, tudo porque estava ocupado a estabilizar o país e a compreender e cortar os esquemas de roubo do dinheiro público, em Bissau.

Exortou a população a reforçar o controlo e vigilância aos bens do Estado, controlando todos os funcionários públicos, “do administrador do sector ao Presidente da República”, para que o dinheiro público seja guardado no cofre do Estado, frisou.

Nesta segunda-feira, José Mário Vaz prossegue a sua presidência aberta visitando o sector de Pitche, 230 quilómetros de Bissau.

Publicidade