O comunicado divulgado pelo ministério dos Negócios Estrangeiros, na noite de sexta-feira, surge no meio de uma sensação de desconforto entre Washington e Seul, entre a aplicação de sanções e a pressão para que o Norte renuncie ao seu programa nuclear.

O ministério avisa, na mesma nota, que o Norte poderá trazer de volta a sua política de avançar, simultaneamente, com a sua força nuclear e o desenvolvimento económico, isto se os Estados Unidos não mudarem de posição.

No mês passado, a Coreia do Sul voltou atrás na proposta de levantar algumas sanções unilaterais contra Pyongyang, para criar espaço diplomático, depois do Presidente Donald Trump afirmar que Seul não poderia “fazer nada” sem a aprovação de Washington.

Publicidade