Comecemos por explicar a sua função ao certo: o sistema digestivo trabalha no sentido de digerir os alimentos ingeridos e absorver os nutrientes lá presentes, para garantir energia e nutrição a todo o organismo.

O intestino delgado, que é órgão mais comprido do sistema digestivo, é o canal que une o estômago ao intestino grosso (responsável pela acumulação e eliminação de resíduos gerados no processo de digestão). Trabalha especificamente para passar a comida – que passou por um primeiro processo de digestão graças às enzimas presentes no fígado – até ao intestino grosso. Pelo caminho, absorve a maioria dos nutrientes essenciais ao sistema sanguíneo, leia-se, cerca de 95% das vitaminas, minerais, proteínas e hidratos de carbono ingeridos, os restantes 5% passam para o intestino grosso.

Pela sua função, facilmente se entende que caso haja algum problema no intestino delgado, a saúde nutricional de todo o organismo fica comprometida, e de facto são vários os problemas que podem surgir neste órgão.

Sangramento, problemas celíacos, infeções, cancro intestinal, obstrução ou bloqueio intestinal, úlceras ou desenvolvimento de bactérias são alguns dos possíveis problemas a ocorrer – dos mais graves aos mais comuns.

Embora cada um tenha a sua própria natureza, há certos hábitos a adotar na rotina diária que podem ajudar a prevenir a má saúde do intestino delgado, nomeadamente o consumo de fibra e prática de exercício físico.

Por outro lado, lacticínios em excesso ou mudanças repentinas na alimentação podem comprometer o bom funcionamento intestinal neste sentido. Maus hábitos como álcool, tabaco ou mesmo stress também se refletem no órgão, é por isso que quando se está nervoso, por exemplo, pode sentir que a comida não lhe cai bem – o problema está no processo de digestão e absorção nutricional.

Publicidade