Reservas de diamantes são superiores a mil milhões

0
Viktor Ustinov (à esquerda) apresentou o estudo sobre o potencial diamantífero
Viktor Ustinov (à esquerda) apresentou o estudo sobre o potencial diamantífero

Dados ontem revelados indicam que Angola tem potencial nas regiões norte e nordeste do país, em reservas de diamantes, superior a mil milhões de quilates.

Angola produziu no ano passado nove milhões de quilates de diamantes, sete milhões dos quais no Projecto Catoca, anunciou ontem, em Luanda, o director-adjunto para a área de Pesquisa e Prospecção Geológica da companhia russa Alrosa, Viktor Ustinov, ao apresentar um estudo sobre o “Potencial Diamantífero de Angola: Presente e Futuro”. Viktor Ustinov disse que o país tem reservas diamatíferas de 1,5 mil milhões de quilates.

Os resultados da pesquisa apontam que os territórios que abrangem as províncias da Lunda-Norte, Lunda-Sul, Malange e Bié apresentam um alto potencial diamantífero e as províncias do Uíge, Zaire, Luanda e Bengo não têm qualquer possibilidade de os ter.
Com potencial provável, estão o Cuanza-Norte, Cuanza-Sul e Huambo.

Publicidade