Reuniões dos Palop e CEDEAO à margem da Cimeira da UA

0

Decorreu esta manhã, na sede da União Africana, em Addis Abeba, uma reunião de uma comissão ad-hoc da CEDEAO. Onde participou a delegação da Guiné-Bissau, chefiada pelo Ministro dos Negocios Estrangeiros.

Ao mesmo tempo a embaixada de Angola na capital etíope abriu as suas portas para um encontro do Fórum Palop. A reunião contou com a presença do ministro dos Negócios Estrangeiros da São Tomé e Príncipe, Urbino Botelho, e a Vice-ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Nyeleti Mondlane.

As delegações da Guiné-Bissau e de Cabo Verde faltaram ao encontro.

No final deste Fórum Palop, Georges Chikoti, ministro das Relações Exteriores de Angola, deu conta dos assuntos debatidos, entre eles, o acordo ortográfico.

O chefe da diplomacia Angola confirmou, ainda, o diferendo entre Marrocos e o Sahara Ocidental, este sábado, no Conselho Executivo da União Africana. Georges Chikoti reforça que, apesar da cooperação com Rabat, Luanda continua a apoiar o povo saharaui.

Em paralelo à 29ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da União africana que se prepara em Addis Abeba, teve lugar igualmente este domingo de manhã uma reunião da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental.
Guiné-Bissau e Cabo Verde são os dois países lusófonos que integram a organização regional.

A RFI ouviu Jorge Malú, ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e Comunidades da Guiné-Bissau, que sublinha o apoio de Bissau à entrada de Marrocos na Cedeao, explica que o financiamento da União Africana não é consensual, nem justo e confirma que a situação de instabilidade política que se vive na Guiné-Bissau deverá ser abordada nesta cimeira, no momento em que a instituição passar em revista a situação política de cada país.

A 29ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da União Africana, esta prevista para amanhã e terça-feira, na capital etíope.

Publicidade