“Para esta atualização dos cadernos eleitorais, nós temos como público alvo todos os cidadãos maiores de 18 anos que, por uma razão ou outra, não puderam recensear-se aquando da realização do recenseamento de raiz de 2017 e cidadãos que completam 18 anos até 30 de setembro deste ano”, disse Alberto Pereira.

Em setembro do ano passado, a CEN concluiu o recenseamento eleitoral de raiz com um resultado de 91.111 eleitores inscritos, menos dez mil do que os eleitores inscritos para votar nas presidenciais que deram a vitória a Evaristo Carvalho.

Apesar das explicações dadas pela Comissão Eleitoral nacional, o primeiro-ministro, Patrice Trovoada, considerou este resultado muito aquém do esperado e anunciou, por isso, que o seu Governo iria realizar uma nova atualização dos cadernos eleitorais.

O presidente da CEN adiantou ainda que os eleitores que, já estando inscritos, pretendam mudar do seu domicilio, “podem aproveitar essa ocasião”, devendo dirigir-se às brigadas eleitorais “para devolverem seu cartão e receberem um novo, onde passa a constar a nova localidade de residência”.

Os trabalhos de atualização dos cadernos eleitorais vão decorrer até ao dia 15 de maio e Alberto Pereira indica que será apenas a nível nacional, estando de fora os cidadãos da diáspora.

Publicidade