“Temos um novo Governo em São Tomé e Príncipe, temos uma série de considerações que é preciso fazer, temos revisitações a realizar a alguns programas de cooperação em curso e temos, obviamente, antes de desenharmos ou finalizarmos [novos] programas de cooperação, de discuti-los com aqueles que são os destinatários e nossos parceiros”, disse Teresa Ribeiro.

A secretária de Estado, que falava aos jornalistas, em Lisboa, adiantou que a viagem decorre a partir de 19 de fevereiro, seguindo-se, depois, em março, em data ainda não divulgada, uma deslocação a Moçambique.

“Há aqui condições objetivas para que precisemos de revisitar, conversar e olhar para os programas de cooperação, avaliá-los e ver como podemos promover o seu relançamento, adequando-os àquelas que são as escolhas do Governo” de São Tomé e Príncipe, acrescentou.

Teresa Ribeiro recordou que a cooperação portuguesa com São Tomé e Príncipe abrange um conjunto vasto de áreas, que vão desde a administração interna à justiça, sendo os projetos “mais significativos” nas áreas da educação e saúde.

O Programa Estratégico de Cooperação (PEC) 2016-2020 com São Tomé e Príncipe tem um envelope financeiro indicativo, sujeito a revisão anual, de 46 milhões de euros e como setores de intervenção prioritários a educação, formação e cultura; saúde e assuntos sociais; justiça e segurança; energia, ambiente e finanças.

Prevista está ainda a disponibilização de 11,5 milhões de euros em linhas de crédito, totalizando 57,5 milhões de euros.

Publicidade