Slogan do MPLA é um compromisso sério

0
Militantes e simpatizantes do MPLA expressam apoio ao programa e manifesto do partido
Militantes e simpatizantes do MPLA expressam apoio ao programa e manifesto do partido Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

O slogan do MPLA para as eleições gerais “melhorar o que está bem e corrigir o que está mal” é um compromisso sério com o desenvolvimento harmonioso do país, afirmou o primeiro secretário provincial do partido no Huambo, desmentindo assim algumas vozes que vêem naquele frase apenas mais um lema enquadrado na campanha eleitoral.

João Baptista Kussumua teceu estas considerações no domingo, na povoação do Ngulawa, província do Huambo, quando falava num acto de massas para divulgar a imagem do candidato do MPLA às eleições gerais de 23 de Agosto, João Lourenço, e o número do partido no boletim de voto (4).
Na presença de militantes, simpatizantes e amigos, João Baptista Kussumua pediu aos presentes para votar no MPLA, considerando ser o partido mais capacitado para proporcionar o progresso e o bem-estar de todos. À margem deste acto de massas, João Baptista Kussumua ofereceu cadeiras de rodas a pessoas portadoras de deficiência física, cobertores, vestuário, material escolar e equipamentos para prática do futebol. Além de membros do comité local do partido, o acto foi testemunhado por Pedro Sebastião Teta, membro do comité central do MPLA.
O programa de governo 2017-2002 do MPLA e o respectivo manifesto eleitoral têm como lema “Melhorar o que está bem e corrigir o que está mal”. O partido no poder definiu como grandes objectivos para a governação a consolidação da paz e da democracia e preservação da unidade e da coesão nacional; o reforço da cidadania e construção de uma sociedade cada vez mais inclusiva; a concretização da reforma e modernização do Estado e o desenvolvimento sustentável com inclusão económica e social e redução das desigualdades.
Constam ainda das linhas de força do próximo mandato do MPLA, caso vença as eleições, o desenvolvimento humano e o bem-estar dos angolanos; a edificação de uma economia diversificada, competitiva, inclusiva e sustentável; a expansão do capital humano e criação de oportunidades de emprego qualificado e remunerador para os angolanos; a garantia da soberania e da integridade territorial do país e da segurnaça dos cidadãos; o desenvolvimento harmonioso do território, promovendo a descentralização e a municipalização; bem como o reforço do papel de Angola no contexto internacional e regional.

Longonjo

Os vendedores do mercado informal da vila municipal do Longonjo, a 64 quilómetros da cidade do Huambo, foram mobilizados, domingo, para o voto certo no MPLA, no dia 23 de Agosto.
Durante a campanha, centenas de militantes do partido no poder no Longonjo percorreram o mercado, explicando aos eleitores que votar no partido é marcar no número quatro do boletim de voto.
A primeira secretária municipal do MPLA no Longonjo, Maria Emiliana Nacole Muafunga, que orientou a actividade, disse que o objectivo foi alertar os eleitores de que o partido no poder é o único garante do bem-estar das famílias.
Emiliana Muafunga manifestou-se feliz pela forma como os vendedores acolheram os militantes, tendo abandonado os seus negócios e dedicado alguns minutos ao esclarecimento feito. A dirigente partidária recomendou muita organização, respeito pela diferença política e, sobretudo, livre escolha para que as eleições sejam sinónimo de festa.

Publicidade