Três anos depois do lançamento de “Azul” e “Nha Padaz”, Sónia Lopes volta ao estúdio para gravar “Pontas Soltas”, um CD espontâneo que vêm responder ao seu impulso musical que foi sempre cantar vários géneros musicais.

O EP, que está a ser gravado entre Portugal e Cabo Verde, nos estúdios Scratchbuitstudio (Lisboa) e XL Produções Plateau (Cabo Verde), será composto por seis músicas, sendo a maioria composições da própria artista.

Conforme disse, este trabalho é uma fusão, pois traz estilos como coladeira, bossa nova, samba, semba e salsa.

Segundo Sónia Lopes, o seu filho, mesmo antes de nascer, demonstrava que era “bastante alegre” e, por isso, envolta em emoções, resolveu compor essas músicas, que a seu ver são “bastante coloridas e alegres e trazem os ritmos mais quentes”.

“É um CD bastante alegre e é fruto da segunda gravidez. Nunca pensei que seria capaz de ser compositora. Todas as composições foram feitas nos últimos meses da minha gravidez e nos primeiros meses de amamentação do meu bebé”, revelou.

Apesar de ser um trabalho que nasceu durante a fase de gravidez e inspirado no seu filho, a artista dedica este trabalho ao seu avô Armando Duarte Lopes, um apreciador da música, que até aos últimos dias da sua vida manteve ao seu lado um aparelho de rádio.

O seu mais novo trabalho estará disponível no mercado a partir de Junho, mas já em Fevereiro Sónia Lopes lança nas plataformas digitais dois singles “Todo Pasa” e “Nunca Mais”.

“Todo Pasa”, conforme explicou, é uma composição em espanhol e uma mistura de coladeira, semba e samba, enquanto “Nunca Mais” é uma composição do português de Brasil com ritmo de bossa nova.

Este EP terá a participação de músicos de Brasil, Angola e Cabo Verde, nomeadamente Márcio Dhiniz, Fábio Casmore, Roberto Leonardo, Giovanni Barbieri, Vando Pereira, Galiano Neto, Nilde Mulongo, Chalo Correia, Khaly Raçamau, Zé Rui de Pina e Ivan Medina.

“Pontas Soltas” terá composições em crioulo, inglês e espanhol.

Sónia Lopes nasceu em São Vicente onde começou por descobrir o gosto pela música com o pai, Júlio Lopes.

Contudo foi nas suas andanças pelo mundo que aprofundou o gosto pela música.

Filha de pai diplomata, a artista teve a oportunidade de conhecer vários países e beber das suas influências musicais.

Em adolescente viveu nos EUA, onde teve aulas de canto e começou a apreciar e a experimentar os sons e ritmos dos géneros jazz e blues.

Do seu percurso consta ainda uma passagem de dois anos por Portugal, novamente EUA e depois México, onde Sónia conviveu de perto com os estilos e artistas latinos.

A artista optou por fazer a sua formação superior em Línguas em Brasília. Já no Brasil, Sónia continuou a cantar e a beber da influência de géneros como samba, bossa nova, etc.

De regresso a Cabo Verde, Sónia assumiu funções de directora do English Language Institute, ELI, e continuou a apostar na sua carreira musical, tendo aulas de canto com a professora Lúcia Cardoso e fez parte do grupo coral da Casa da Música, da Uni-CV.

Publicidade