Da programação fazem parte nove produções e coproduções portuguesas, mas apenas três filmes foram selecionados para secções competitivas: na competição internacional estão “A portuguesa”, de Rita Azevedo Gomes, e “Chuva é cantoria na aldeia dos mortos”, de João Salaviza e Renée Nader Messora, e na secção “Estados Alterados” figura o documentário “Terra Franca”, de Leonor Teles.

Na competição latino-americana está “Para la guerra”, do argentino Francisco Marise (Argentina/Espanha/ Portugal/Panamá).

Na secção “Panorama”, não competitiva, entre os filmes selecionados estão três coproduções portuguesas: “O caderno negro”, de Valeria Sarmiento, “Rei sol”, de Albert Serra, e “Como Fernando Pessoa salvou Portugal”, curta-metragem de Eugène Green.

Em secções retrospetivas e temáticas, o festival incluiu “A morte de Louis XIV”, de Albert Serra, a propósito de um ciclo dedicado ao ator Jean-Pierre Léaud, e “A ilha dos amores”, de Paulo Rocha, de 1982 e recentemente restaurado.

O 33.º Festival de Cinema Mar del Plata decorrerá de 10 a 17 de novembro, com França como país convidado, e pela primeira vez a direção artística é assumida por uma mulher, a programadora argentina Cecilia Barrionuevo.

O festival abrirá com “Sueño Florianópolis”, de Ana Katz, e encerrará com “Roma”, do mexicano Alfonso Cuarón.

Publicidade