A avaliação é feita num curto resumo preliminar da equipa de cerca de 20 observadores, de curto e longo prazo, que acompanharam as eleições, ganhas pela coligação da oposição, a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), com uma maioria de 34 lugares no parlamento de 65.

“As eleições parlamentares de 12 de maio foram eficientemente administradas e cumpriram os padrões internacionais de eleições livres e justas”, referiu o relatório do instituto norte-americano.

Citados no documento, os responsáveis da delegação do IRI, Randy Scheunemann e Bruce Edwards sublinharam que o voto decorreu numa “atmosfera pacifica ainda que cheia de energia” apenas com “ligeiros incidentes relatados durante o período da campanha”.

Estes incidentes “não afetaram a eleição”, consideraram os observadores internacionais.

Em concreto, a IRI disse que os dois órgãos eleitorais, o Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) e a Comissão Nacional de Eleições (CNE), foram “profissionais e dedicados” quer durante a campanha, quer no dia da votação.

“Depois da experiência das eleições presidenciais e parlamentares de 2017, o STAE e a CNE continuaram eficientes e imparciais, seguindo os procedimentos definidos”, referiu.

“Os observadores da IRI notaram que as estações de voto estiveram ordenadas e a votação decorreu de forma pacífica e geralmente bem organizada, apesar de pequenas irregularidades procedimentais”, sublinharam.

A equipa do IRI incluiu 18 observadores de curto prazo, que acompanharam a votação em 112 centros de voto, no âmbito do apoio norte-americano ao processo eleitoral timorense e aos esforços de garantir “um ambiente eleitoral livre, justo e pacífico”.

Foram ainda destacados no país três observadores de longo prazo, que participaram em quase 160 reuniões nos 13 municípios timorenses.

Fonte da embaixada australiana em Díli disse à Lusa não estar ainda decidido quando será divulgado o relatório dos observadores que acompanharam o voto.

As delegações australiana e norte-americana foram as maiores a acompanhar o escrutínio.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here