A 54.ª edição da ModaLisboa, durante a qual são apresentadas as coleções para o próximo outono/inverno, prossegue hoje nas antigas Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento (OGFE), no Campo de Santa Clara, onde decorre a Feira da Ladra.

Hoje, cabe a João Magalhães inaugurar a ‘passerelle’, por onde passarão também as coleções de Buzina, uma estreante na ModaLisboa, Luís Buchinho, que regressa à iniciativa lisboeta no âmbito de uma parceria com o Portugal Fashion, do Porto, Ricardo Preto, Luís Carvalho, Kolovrat, Gonçalo Peixoto e Nuno Gama.

Embora os desfiles sejam apenas acessíveis por convite, há uma série de outras atividades abertas ao público.

Pela primeira vez, a ModaLisboa apresenta um alinhamento artístico, que inclui hoje atuações de Duarte Melo (18:30), do quinteto de metais da Banda Sinfónica do Exército (19:30) e de Aurora Pinho Leite (22:00).

Nesta edição, regressam as exposições da Workstation, a ‘pop-up store’ (loja temporária) Wonder Room, que funcionará entre as 13:00 e as 22:00 de hoje, e o Check Point, um espaço de encontro da indústria, que inclui oficinas e debates, que exigem inscrição prévia.

E porque a sustentabilidade na indústria da moda é uma preocupação cada vez maior, nesta edição haverá um ‘lounge’ onde quatro projetos – Catalyst, Fashion Revolution, Planetiers e WWF — “falam da inovação tecnológica da indústria, das pessoas que fazem as roupas, de como o futuro pode ser verde, de como a água é o bem de luxo mais precioso”.

Além disso, há nas antigas OGFE três contentores, personalizados por artistas – Rita Ravasco, Gonçalo Mar e RAF -, espalhados pelo recinto, “onde qualquer pessoa poderá depositar roupa, calçado e têxtil lar que já não queira, mas que outros tanto podem querer”.

A 54.ª edição da ModaLisboa decorre até domingo.

Os horários e outras informações sobre as atividades podem ser consultados em www.modalisboa.pt.

Publicidade