O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, considerou que as acusações de tráfico de droga contra o Governo revelam falta de “raciocínio lógico” e “ausência de capacidade cognitiva para fazer análises”.

“Quanto a um suposto envolvimento do executivo governamental no tráfico de droga, o mesmo traduz a falta de um raciocínio lógico e, ao mesmo tempo, completa ausência de capacidade cognitiva de fazer análises”, referiu Aristides Gomes, num comunicado a que a Lusa teve hoje acesso.

O candidato às eleições presidenciais apoiado pela Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB, no Governo) e pelo Partido de Renovação Social, Nuno Nabiam salientou, na sexta-feira, que é preciso esclarecer a situação da droga, “porque há uma confusão total em que tudo indica que o Governo possivelmente está implicado neste negócio”.

Publicidade