A obra retrata o percurso da vida política de Afonso Dhlakama, antigo presidente da Renamo, que faleceu em Maio do ano passado.

No livro, Adelino Timóteo traz algumas alguns pontos sobre histórias de Moçambique, nomeadamente o processo da democratização do país, com destaque ao conflito armado entre a Renamo e o Governo, que durou 16 anos, cuja assinatura do acordo de paz foi em Outubro de 1992.

Segundo Adelino Timóteo, o propósito deste livro é fornecer e esclarecer às novas gerações a verdadeira história da guerra civil em Moçambique.

“Em Moçambique procura-se guardar segredos de forma infantil e injustificável sobre a guerra civil. Afonso Dhlakama sempre lutou pela implantação da democracia e bem-estar social e houve razões muito fortes para pegar em armas e lutar contra o Governo do dia”, justifica o escritor, para depois acrescentar que “infelizmente a verdade sobre a chamada guerra civil está sendo escondida, pelo menos aqui no nosso país, desde que terminou a guerra em 1992. É uma atitude que na minha opinião contribui para definhar a nossa história. A nova geração e até aqueles que viveram a guerra precisam saber toda a verdade para que todos juntos possamos evitar trilhar caminhos que nos levem a outro conflito. Noutros países e de forma particular na Europa, sabe-se tudo sobre a luta pela democracia liderada por Afonso Dhlakama. Para nós é um segredo, porquê? O livro vem desmistificar parte desta história”, explicou Adelino Timóteo.
O autor pretende, segundo explicou, ver a sua obra contribuir na formação política e social da juventude e entende que a actual história sobre a guerra civil conhecida pelos moçambicanos já devia ser desconstruída.

O lançamento da obra contou com a presença de vários membros da Renamo, que dizem se sentir encorajados a continuarem firmes na luta pelos ideias sempre defendidos pelo seu antigo líder, tal como vem indicado no livro, nomeadamente a defesa da democracia e igualdade social.

O presidente do MDM e do Conselho Autárquico da Beira, Daviz Simango, entende que o livro em referência vem defender aquilo que foram os ideais de Afonso Dhlakama na luta pela democracia, daí a edilidade ter financiado a elaboração da obra.
“O Conselho Municipal vai continuar a apoiar iniciativas que visem contribuir para a robustez da nossa democracia. Obrigado Adelino e continue a escrever histórias verídicas do nosso país e a ajudar a abrir caminhos para as novas gerações para que estas possam compreender o nosso passado e depois poderem construírem um futuro mais robusto democraticamente”, referiu Simango.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here