A candidatura alemã venceu a da Turquia na corrida pela organização da 17.ª edição do torneio, na votação realizada durante a reunião do Comité Executivo da UEFA, na sede do organismo regulador do futebol europeu, em Nyon (Suíça).

Belim, Colónia, Dortmund, Dusseldorf, Frankfurt, Gelsenkirchen, Hamburgo, Leipzig, Estugarda e Munique serão as cidades-sede do Europeu de 2024, que contará com 24 seleções e voltará a ser disputado num único país, uma vez que a próxima edição, em 2020, vai realizar-se em 12 cidades de diferentes países europeus.

A Alemanha, que foi também o país anfitrião de duas edições do Campeonato do Mundo, em 1974 e 2006, organizou pela primeira e única vez o Europeu de futebol em 1988, dois anos antes da reunificação, numa edição sem a participação de Portugal.

A Holanda conquistou em Munique, em 25 de junho de 1988, o único grande título internacional, ao vencer na final a União Soviética, por 2-0, com o avançado Marco van Basten a marcar um dos golos mais icónicos da história do futebol, ao conseguir um improvável ‘chapéu’ sobre o guarda-redes Rinat Dasayev.

O presidente da federação alemã, Reinhard Grindel, e o vice-presidente da federação turca, Servet Yardimci, que integram a lista de 19 membros do Comité Executivo, não participaram na votação secreta realizada hoje pelo órgão de cúpula da UEFA.

De acordo com a AP, a candidatura germânica, considerada favorita, recolheu 12 votos dos membros do Comité Executivo, contra quatro favoráveis à Turquia, que já tinha sido derrotada na corrida à organização dos Europeus de 2008, 2012 e 2016, tendo-se registado uma abstenção.

O projeto alemão, que indica as cidades de Berlim ou Munique como os dois palcos possíveis para a final da competição, deverá proporcionar a venda de mais 400.000 bilhetes do que os que foram transacionados no Euro2016, em França, e mais 300.000 relativamente à proposta turca.

A crise financeira na Turquia, cuja lira perdeu quase metade do valor relativamente ao euro, e a introdução pela primeira vez no processo de escolha da UEFA de um critério relativo ao respeito pelos direitos humanos também contribuíram para a vitória da Alemanha, que tinha como embaixador o ex-futebolista Phlipp Lahm, campeão mundial em 2014.

O Campeonato da Europa, a principal prova de seleções no continente, realizou-se uma única vez em Portugal, em 2004, tendo a seleção portuguesa perdido na final com a Grécia, por 1-0, em jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa.

A ‘equipa das quinas’ conseguiu conquistar pela primeira vez o título europeu 12 anos mais tarde, em 2016, em Paris, ao impor-se na final à anfitriã seleção francesa, também por 1-0, após prolongamento.

Publicidade