Alterações climáticas já têm efeitos visíveis em São Tome – ministro

As alterações climáticas já estão a ter efeitos visíveis em São Tomé e Príncipe, alertou hoje o ministro são-tomense das Finanças, Planeamento e Economia Azul, apelando ao investimento estrangeiro para o país "avançar".

0

o último dia do encontro Oceans Meeting 2019, que juntou em Lisboa responsáveis governamentais de todo o mundo, incluindo o lusófono, Osvaldo Vaz destacou que o Governo são-tomense está atualmente a elaborar a estratégia de transição para a economia azul e que o país “precisa de investir seriamente no oceano”.

Entre os vários problemas que as duas pequenas ilhas atlânticas enfrentam, apontou uma “erosão costeira assustadora”, relacionada com o clima.

“Por causa da erosão costeira, a água está a entrar na terra cada vez mais e há também subida das águas do mar”, adiantou.

Osvaldo Vaz focou ainda a falta de recursos humanos qualificados e fragilidades a nível da regulamentação, mas destacou que São Tomé tem também vantagens, como a estabilidade política “propícia ao investimento estrangeiro”, que vê como a única forma de o país avançar.

A inexistência de um porto de pesca e o défice de capacidade energética são outras questões por resolver, preferencialmente, segundo o governante “através de energia limpa”.

Além disso, o mar está praticamente inexplorado, continuou, reforçando que São Tomé precisa de “muito apoio”, mas oferece também “várias oportunidades”, nomeadamente na cooperação lusófona.

“Iremos discutir com os nossos países irmãos [como Angola e Cabo Verde] a melhor forma de implementar o nosso programa: como será protegido o nosso mar em termos de segurança, licenças de pescas, as quotas que podemos dar, aquacultura”, detalhou.

Publicidade