Segundo uma nota da direção nacional de Recursos Humanos do órgão ministerial, a que a Lusa teve hoje acesso, o concurso público deve igualmente admitir 1.691 técnicos de diagnóstico e terapeuta, 779 para o apoio hospitalar e 531 para o regime geral.

Depois da “alta taxa de reprovações” registada nos exames de acesso realizado em dezembro de 2018, observa o documento, as candidaturas para este terceiro concurso deverão ser feitas no portal www.ingresso-minsa.com até 07 de janeiro de 2020.

Angola, com cerca de 28 milhões de habitantes, conta atualmente com 6.400 médicos, perfazendo um médico para 4,3 mil habitantes, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um médico para cada mil habitantes.

A malária é a principal causa de mortes e de internamentos no país, seguido dos acidentes de viação e da tuberculose, segundo as autoridades.

Publicidade