De acordo com o relatório da AIPEX, referente ao mês de Julho, essas propostas de investimento estão viradas para os sectores da construção civil (4), educação (1), saúde (3), hotelaria e turismo (2), pescas (3), prestação de serviços (21), agricultura (9), comércio (38) e indústria (74).

Desses sectores, a indústria é a área que prevê absolver o maior valor de investimento, com mais de mil milhões de dólares, seguido da agricultura, com mais de USD 150 milhões.

Do total de propostas de investimento, destinadas a quase todas as províncias do país, 41 projetos já foram implementados, 116 estão em vias de implementação, três por implementar e cinco abortados (apontados como desistência), segundo o relatório estatístico da AIPEX, chegado hoje (sexta-feira) à Angop.

A implementação dos 41 projetos, avaliados em 783 milhões de dólares, já possibilitou a criação de três mil 620 postos de trabalho efetivos.

Os projetos em implementação (116) estão avaliados em 887 milhões de dólares, enquanto os projetos por implementar (3) estarão orçados em USD 10 milhões. Os cinco projetos que abortaram (desistiram) estavam orçados em 33 milhões de dólares.

As províncias de Luanda, com 123 propostas de investimento, Cuanza Sul (10), Benguela e Malange, com sete cada, são as que mais suscitaram o interesse dos investidores no período em análise.

A AIPEX tem como objetivo promover as exportações, captação de investimento privado, registo de propostas de investimento, apoio institucional e acompanhamento da execução dos projetos de investimento e internacionalização das empresas angolanas.

Foi criada ao abrigo do Decreto Presidencial nº 81/18, de 19 de Março de 2018, resultando da fusão da Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP) e da Agência para Promoção de Investimento e Exportações de Angola (APIEX).

Publicidade