Foi lançado hoje, a partir do Cazaquistão, o primeiro satélite angolano. Angola passa, assim, a ser o sétimo país africano a colocar um sistema de telecomunicações no espaço, depois da Argélia, África do Sul, Egito, Marrocos, Nigéria e Tunísia.

O lançamento, realizado pela corporação aeroespacial russa Roscosmos, que controla a RSC Energia, envolve um foguete ucraniano Zenit-2SB.

O AngoSat-1, que, de acordo com a agência Lusa, vai garantir a utilização comercial para serviços de telecomunicações nacionais e internacionais, faz parte de um projeto russo-angolano iniciado em 2009. O satélite teve sua construção iniciada em fins de 2013, mas teve seu lançamento várias vezes adiado.

Segundo o governo angolano, que investiu cerca de 270 milhões de euros no projeto, o AngoSat estará disponível para comercialização logo após o período de testes, que deve durar de dois a três meses. O valor investido deverá ser recuperado pelo Estado dentro de dois anos, conforme relatou a Lusa.

 

O satélite angolano foi projetado para uma missão de 15 anos, que consistirá no fornecimento de internet de alta velocidade e transmissões de rádio, televisão e outras comunicações para toda a África e partes da Europa.

Publicidade