Angola: Kizomba e Eduardo Paim “brilham” no Top dos Mais Queridos 2018

Com música a cargo da banda FM e encenação do grupo teatral Cena Livre, o estilo de música e dança kizomba esteve me evidencia durante a gala de consagração do Top dos Mais Queridos 2018 ocorrida no Centro de Conferências de Belas, em Luanda.

0

Em pouco mais de uma hora, os integrantes do grupo, com algum humor à mistura, levaram as centenas de pessoas presentes no local a recordar o trajecto deste estilo de dança e música angolana até à sua expansão mundial.

Misturando rapsódias de alguns clássicos da música angolana ao reportório mais recente, a organização do evento fez subir ao palco nomes como Yuri da Cunha e Legalise que deram um outro brilho à noite de homenagem, que teve o seu ponto mais alto com a distinção do seu percurso, Eduardo Paim.

Numa noite dedicada a distinguir o mais querido dos músicos angolanos de 2018, a organização do evento a cargo da Rádio Nacional de Angola (RNA) procurou, desta forma, prestar uma singela homenagem a uma marca da cultura angolana, levando em palco um manancial de histórias sobre o referido estilo de música e seus principais executantes/precursores.

Kizomba é um género musical e um estilo de dança originários de Angola, erradamente confundido com o zouk devido ao ritmo ser muito semelhante.

Kizomba é uma palavra do kimbundu, uma das línguas de Angola, e significa encontro, confraternização. Kizomba também significa festa do povo, tendo o nome origem nas danças dos negros que resistiram à escravidão. Era congregação, confraternização, resistência.

Origens

A kizomba, como dança, tem origem nas farras, com dançarinos de renome como Mateus Pele do Zangado, João Cometa e Joana Perna Mbunco ou Jack Rumba, que eram os mais conhecidos nas grandes farras, conhecidas por “kizombadas”, nas décadas de 1950 e 1960.

Este estilo começou a evoluir entre 1980 e 1981 com grupos como Os Fachos, um grupo ligado às FAPLA e liderados por Bel do Samba e os Afro Sond Star que misturavam o semba lento com a kilapanga, levando ao aparecimento do ritmo conhecido por kizomba.

O termo kizomba surge também ligado ao estilo em 1981, através do “Bibi o rei da passada”, percussionista dos SOS, liderado por Eduardo Paim, um grupo que juntando outros estilos como o merengue angolano aos ritmos desenvolvidos por outros contemporâneos, desenvolveu uma sonoridade mais apetecível e dançante que começou a circular pelas farras angolanas.

Publicidade