A cantora angolana concorre na categoria de Melhor Voz Feminina da África Central com o tema “Quem Me Dera”.

A autora de sucessos como “Vai-te embora”, “Bebé Wé”, “Infeliz”, “Aceito”, “Moboneco” e “Mereço Mais”, consta do selecto grupo de artistas africanas em que se destacam nomes como Cindy Le Coeur, da República Democrática do Congo (RDC) e Charlotte Dipanda, dos Camarões.

Dona de um talento invejável e com reconhecido valor artístico, que lhe valeu recentemente os troféus de Melhor Artista Feminina dos Palop e de Melhor Single Feminino, com o tema “África Unite”, no African Entertainment Awards-USA, volta a ser referência num dos mais prestigiados concursos musicais do continente, desta vez com a música “Quem Me Dera”.

A artista angolana tem ainda na sua galeria os prémios de Artista Revelação e Melhor Artista da África Central, conquistados no África Magazine Music Awards (Afrimma), cuja gala teve lugar em Outubro do ano passado, nos Estados Unidos. Nsoki, que nasceu em 1983, em Luanda,  começou a cantar muito cedo, na vertente de música lírica, nos Estados Unidos.

Em 2012 lançou o primeiro single intitulado “Meu Anjo”, que teve a participação do músico angolano Nanutu e do cabo-verdiano Johnny Ramos. Em 2013, Nsoki publicou o seu primeiro álbum, “Meu Anjo”, que contou com a participação dos cantores Heavy C (angolano), Johnny Ramos (cabo-verdiano), Nguabi Montel (angolano) e Ricardo Duna (brasileiro); em 2015 lançou o CD “Prova dos Nove”.

Nsoki formou-se em Administração e Finanças, nos Estados Unidos. Desde muito cedo que revelou possuir inclinação para o canto, tendo participado em grupos corais e peças de teatro. Ainda nos EUA, cantava música lírica, sempre na voz soprano e mezzo-soprano.

A força da música angolana

A presença angolana no concurso Ami Afrika Awards não se condensa apenas em Nsoki Neto. O nome de Angola entra nesta competição musical com nomes como Pedro Lisboa Santos, de nome artístico C4 Pedro, na categoria de “Melhor Artista da África Central”, e Telma Lee, que concorre na mesma categoria de Nsoki.

Outros dos nomes de referência da música contemporânea angolana que integram a lista dos finalistas é Anselmo Ralph. O autor de sucessos como “Não Me Toca” e “Por Favor Dj”, consta da mesma categoria em que concorre C4 Pedro (Melhor Artista da África Central). O despique prevê-se renhido, tendo em conta o talento dos candidatos.

De forma errada, os organizadores colocaram a cantora Edmázia Mayembe na categoria “Melhor Voz da África do Sul”. A autora do sucesso “Alma Nua” concorre com a música “Beijinho no Ombro”, numa categoria em que se destacam as cantoras Londie London (África do Sul), Lizha James (Moçambique) e Cleo Ice Queen (Zâmbia).

A presença angolana nos prémios Ami Awards Afrika, edição de 2018, não se esgota por aqui. Na categoria dos melhores Dj de África consta Paulo Alves, que concorre ao lado de nomes como Spinall (Nigéria), Joe MFalme (Quénia), Black Coffe (África do Sul), Exclusive (Nigéria) e Maphorisa (África do Sul).

Agora, só nos resta votar para as diferentes categorias em que se encontram os artistas angolanos. Para tal, os internautas devem aceder ao portal: www.amiawardsafrika.com.

Publicidade