Em declarações hoje à Lusa, o coordenador do Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros de Angola, Bênção Cavila Abílio, disse que os dados “são ainda provisórios”, estando a decorrer a nível da capital angolana o levantamento das consequências das chuvas.

“Prossegue a nível das comissões municipais de proteção civil e bombeiros o levantamento dos danos das chuvas, temos sim a confirmar a morte dessas crianças, uma delas morreu afogada no município de Cacuaco, um dos mais afetados pelas chuvas” disse.

As fortes chuvas, segundo o responsável, também deixaram dezenas de escolas inundadas, sobretudo no município do Cazenga e provocaram também a queda de várias árvores a nível da província de Luanda.

O município de Viana e o bairro do Quifica, distrito urbano do Benfica, arredores de Luanda, são também, de acordo com os bombeiros, outras das zonas mais afetadas, devido às valas de drenagem que ali desaguam.

As previsões do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica de Angola apontam chuvas para Luanda até ao princípio da noite de hoje.

Publicidade