Num relatório, a Receita Federal frisou que o acréscimo observado no mês de janeiro pode ser explicado, principalmente, por pagamentos atípicos de declarações de ajustes de impostos de renda de empresas (pessoas jurídicas) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Sem considerar os pagamentos atípicos, teria havido um crescimento real de 2,91% da arrecadação de impostos ao Governo central brasileiro no mês de janeiro de 2020.

O Governo brasileiro informou que também houve um aumento na arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), que foi influenciado pelos ganhos em operações em bolsa de valores.

Segundo dados da Receita Federal brasileira, em todo o ano de 2019 a arrecadação federal somou 1,5 biliões de reais (320 mil milhões de euros), um aumento real de 1,69% face ao resultado obtido em 2018.

Publicidade