O relatório anual do PAM sobre Moçambique indica que 51,6 milhões de dólares (43,8 milhões de euros) foram canalizados para necessidades básicas de alimentação e nutrição para as vítimas de desastres naturais em 2017.

A avaliação indica que 74 mil crianças receberam apoio alimentar de emergência nas escolas e o mesmo tipo de ajuda foi prestado a 104 mil estudantes.

O PAM assinala que, em 2017, a alimentação escolar reduziu a taxa de abandono escolar em 6,7%, a taxa de retenção dos alunos na escola fixou-se em 93% e a taxa de matrícula aumentou em 4,2%.

No total, 10,1 milhões de dólares (8, 6 milhões de euros) foram canalizados para despesas com a alimentação escolar.

A assistência humanitária contra as calamidades naturais incidiu igualmente na luta contra a desnutrição, tendo sido realizadas ações de fortificação de alimentos, que consistiram na inclusão de reforços vitamínicos nos alimentos.

Para essa despesa, foram gastos 2,7 milhões de dólares (2,3 milhões de euros).

Essa ação permitiu que 17 milhões de moçambicanos passassem a consumir alimentos fortificados.

Publicidade