VALENTE E BRIGADOR

Era o primeiro jogo oficial – e a primeira decisão – do Real Madrid após a era Cristiano Ronaldo. A missão merengue era provar que poderia continuar vencendo e conquistando títulos sem o craque português. Mas do outro lado havia um valente Diego Costa. Brigador por natureza, o brasileiro naturalizado espanhol deixou toda a sua garra em campo. E também talento, claro. Fez dois golos, levando o jogo para a prorrogação, participou do quarto e foi determinante para encerrar um tabu. Pela primeira vez o Atlético bateu o Real em uma final europeia. De quebra, acabou também com a sequência de 13 finais internacionais consecutivas no geral vencidas pelos merengues, que não perdiam uma desde 2000 e nesta quarta sofreram com erros individuais. Após superar o rival por 4 a 2 em Tallinn, capital da Estónia, o Atlético de Madrid é o campeão da Supercopa da Europa.

 

PRIMEIRO TEMPO

O jogo entre os atuais campeões da Liga dos Campeões e da Liga Europa começou a todo vapor, com golo de Diego Costa logo aos 50 segundos. O camisa 19 recebeu na frente, ganhou de Sergio Ramos e Varane e, mesmo com pouco ângulo, acertou belo chute. Acuado no início, o Real Madrid foi crescendo aos poucos e empatou com Benzema, aos 26 minutos. O francês recebeu cruzamento de Bale e surgiu entre Savic e Oblak para marcar de cabeça. Os merengues quase viraram em seguida, com Asensio, mas o chute raspou a trave.

SEGUNDO TEMPO

Não poderia faltar polémica no clássico, e ela veio aos 17 minutos da segunda etapa. Com a cobrança do canto, Benzema e Juanfran disputaram a bola no alto, e ela bateu no braço do lateral espanhol. Penalti bem marcado, apesar da reclamação dos colchoneros, e bem cobrado por Sergio Ramos. Mas Diego Costa fez mais um aos 33 para deixar tudo igual novamente. Marcelo tentou evitar a lateral, mas deu de graça para o Atlético; Correa recebeu de Juanfran e cruzou para o camisa 19 empurrar para a rede.

PRORROGAÇÃO

O Atlético foi para cima e conseguiu um golaço aos 7 minutos do primeiro tempo da prorrogação. Após bobeira de Varane e roubada de Thomas, Saúl pegou um sem pulo de primeira e acertou o ângulo. O Real se perdeu um pouco e levou outro aos 13. Diego Costa ganhou no corpo de Carvajal e deu para Vitolo, que encontrou Koke livre para ampliar. Dali em diante os merengues tentaram pressionar sem criatividade, somente levantando bolas na área. Vitória justa do Atlético, para a alegria do técnico Diego Simeone, que estava suspenso e assistiu ao jogo (e enlouqueceu) das tribunas.

Publicidade