O Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic) em Maputo, Moçambique, incinerou hoje 543 quilogramas de diversas drogas apreendidas entre julho de 2018 e outubro de 2019.

As apreensões das drogas resultaram da detenção de 319 arguidos, dos quais 33 estrangeiros e 286 moçambicanos, e ainda 223 processos, dos quais 120 já concluídos e remetidos às procuradorias”, disse Rainha Gamboa, diretora do Sernic na cidade de Maputo, no ato da incineração.

Os arguidos, para além da nacionalidade moçambicana, são oriundos de Tanzânia, Guiné-Bissau, Brasil, Angola, Venezuela, Maláui, Estados Unidos da América, Nigéria, Canadá, Gana, África do Sul e Somália.

Grande parte da droga foi apreendida no aeroporto de Maputo, o principal do país que serve de rota de entrada de estupefacientes provenientes da América do Sul, Europa e África.

As drogas apreendidas são: 23 quilogramas de cocaína, 67 de heroína, 4 de efredina, 800 gramas de metanfetamina, e 153 de catonina, entre outras.

O Gabinete das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (UNODC) alertou em setembro que Moçambique se tornou num corredor de grandes volumes de substâncias ilícitas, principalmente heroína, defendendo uma maior cooperação internacional para a prevenção do tráfico de droga.

A costa moçambicana é cada vez mais usada como um corredor importante para a heroína proveniente do Afeganistão e em trânsito para outras regiões do mundo, acrescentou a UNODC.

Publicidade