O BCA reagiu desta forma ao comunicado da Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde que no sábado anunciou a detenção da subgerente da agência deste banco no Palmarejo, cidade da Praia, suspeita do desvio de um montante estimado em 315.798 euros, “pertencentes a clientes”.

Em comunicado, a PJ de Cabo Verde afirmou que a detenção ocorreu através da Secção Central de Investigação de Crimes Económicos e Financeiro (SCICCEF), no decurso de “uma denúncia formal” do BCA e “em cumprimento de um mandado do Ministério Público”.

A detida é colaboradora do BCA desde 2006 e suspeita de cometer os crimes desde 2017.

Segundo o BCA, banco do Grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD), que no final do ano passado anunciou que vai vender a sua participação nesta instituição bancária, “trata-se de uma situação de abuso de confiança”.

“O cargo de subgerente é um cargo de confiança e de elevada responsabilidade dentro da organização, daí ter sido um caso claro de abuso de confiança por parte da referida subgerente em relação ao banco, não pondo em causa a segurança dos valores dos nossos clientes colocados à guarda do Banco”, prossegue o comunicado.

E acrescenta: “O ocorrido foi um caso isolado, o qual foi objeto de atuação por parte do banco, através da tomada de medidas imediatas no sentido de minimizar a possibilidade de se repetirem situações análogas de abuso de confiança e através da comunicação às autoridades judiciais competentes”.

Publicidade