O Luanda Leaks tem causado grande desconforto no seio do Banco Europeu de Investimento (BEI), levando a instituição, liderada por Werner Hoyer, a instalar uma espécie de task force no Departamento de Compliance para avaliar se todos os requisitos foram cumpridos nos vários créditos concedidos a empresas que têm algum tipo de ligação a Isabel dos Santos, apurou o ECO junto de várias fontes.

Este é um procedimento “normal” quando estão em causa temas “politicamente sensíveis”, que levam o BEI a “passar a pente fino os créditos” concedidos, nomeadamente a pessoas politi- camente expostas, como é o caso de Isabel dos Santos, explicou ao ECO fonte conhecedora do modus operandi da instituição, que tem uma classificação AAA por parte das agências de rating.

Publicidade