Todas as bandeiras da Casa Branca, edifícios públicos, acampamentos militares, bases navais e navios de guerra estarão a meia-haste, até quarta-feira como um sinal de “respeito solene” pelas vítimas.

“É uma coisa terrível o que está a acontecer com o ódio no nosso país”, afirmou Donald Trump. A violência “tem de parar”, prosseguiu.

Onze pessoas morreram e seis ficaram feridas no tiroteio no sábado numa sinagoga em Pittsburgh, nos Estados Unidos, segundo o balanço oficial das autoridades.

De acordo com o Departamento Federal de Justiça do Distrito Oeste da Pensilvânia, o suspeito, Rob Bowers, foi acusado de 11 crimes de obstrução da crença religiosa e outros tantos relativos ao uso de armas de fogo para cometer assassinatos.

Rob Bowers foi detido após disparar de forma indiscriminada contra as pessoas que estavam na sinagoga enquanto gritava que todos os judeus deviam morrer.

Este incidente acontece numa altura em que as autoridades norte-americanas estão a investigar o envio de vários pacotes suspeitos, potencialmente armadilhados, a várias personalidades democratas e críticas da administração Trump.

Estas duas situações estão a acontecer a cerca de duas semanas da realização das eleições intercalares norte-americanas, agendadas para 06 de novembro e que vão determinar a futura composição do Congresso.

Publicidade