Segundo o secretário de Negociações Bilaterais do Brasil na Ásia, Pacífico e Rússia, o embaixador Reinaldo de Almeida Salgado, a visita decorrerá entre os dias 25 e 27, e Jair Bolsonaro irá encontrar-se com o Presidente da República e primeiro-ministro indianos, Ram Nath Kovind e Narendra Modi, respetivamente, e serão assinados “cerca de 12 acordos comerciais e tecnológicos”.

No dia 25, primeiro da viagem, Jair Bolsonaro visitará o Memorial Gandhi e participará num almoço e jantar oferecidos pelos chefes de Governo e de Estado indianos

No dia seguinte, o chefe de Estadio brasileiro será o “convidado de honra” das comemorações do Dia da República da Índia, de acordo com o embaixador Almeida Salgado.

Já o dia 27, segunda-feira e último dia da deslocação, será dedicado a eventos empresariais, nos quais Bolsonaro participará num seminário com foco na economia brasileira, energia, bioenergia, petróleo e gás, e inovação.

O Itamaraty, nome como é também conhecido o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, informou ainda que será assinado um memorando de entendimento na área de bioenergia.

Segundo a pasta da diplomacia, a Índia é o quatro principal parceiro comercial do Brasil na Ásia e um dos maiores importadores de energia do mundo, sendo essa uma “área em que ambos os países têm muito a colaborar”.

“O objetivo [da viagem] é ter esse olhar específico para a Ásia, que é de longe a região mais dinâmica do mundo e também uma região que tem 65% da população mundial. Com a Índia, ainda temos muito espaço para melhorar o comércio”, declarou Reinaldo de Almeida.

Pelo menos seis ministros estão confirmados na comitiva presidencial que viajará até à Índia: das Relações Exteriores (Ernesto Araújo), da Agricultura (Tereza Cristina), de Minas e Energia (Bento Albuquerque), da Ciência e Tecnologia (Marcos Pontes), o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (Augusto Heleno) e o ministro da Cidadania (Osmar Terra).

Publicidade