O banco central do Brasil cortou a taxa de juro de referência para 4,5%, pela quarta vez consecutiva, deixando a porta aberta para ainda mais cortes na próxima reunião dos governadores do banco central.

O banco central “considera que o nível atual do ciclo económico recomenda cautela” relativamente à política monetária, lê-se na nota que acompanha a decisão do regulador financeiro brasileiro de cortar 0,5 pontos à taxa de juro Selic, a referência do mercado.

“O comité enfatiza que os próximos passos vão continuar a depender da evolução da atividade económica, do equilíbrio dos riscos e das projeções para a inflação”, acrescenta-se na nota.

A decisão do banco central era esperada pelos 53 analistas consultados pela agência de informação financeira Bloomberg, que considera que a decisão serve para estimular a economia brasileira, ainda a sair de desempenhos negativos nos últimos trimestres.

Publicidade