“A grande maioria, eu diria que 80%, da nossa comunidade” no país “tem manifestado o apoio, e mesmo feito campanha, em torno candidato Jair Bolsonaro”, disse Flávio Martins, que é conselheiro eleito pelo Brasil, onde vive, acrescentando que geograficamente essa tendência se tem sentido de norte a sul do país, em grandes estados como Rio de Janeiro, São Paulo ou Minas Gerais.

O presidente do órgão representativo dos portugueses emigrantes acredita que a concentração das intenções de voto no candidato da extrema-direita se deve, em parte, à insegurança sentida, ao “descontentamento geral com os partidos políticos tradicionais”, mas também por questões históricas.

“São pessoas que não foram habituadas a viver com a diversidade, com a democracia e com a diferença, e para mim isso está muito claro”, disse.

Publicidade