O Episcopado brasileiro pediu hoje a quem vote nas eleições presidenciais de domingo, nas quais se defrontam Bolsonaro e Haddad, que o faça com “liberdade de consciência” para um país “democrático” e que promova a “paz social”.

Em comunicado hoje divulgado, o Episcopado brasileiro sublinha que estas eleições “são uma oportunidade para o exercício da democracia, pelo que os candidatos devem apresentar projetos e propostas que visem a construção de uma sociedade na qual prevalece a justiça e a paz social”.

Cabe, por isso, “ao povo julgar com liberdade de consciência qual é o projeto que melhor corresponde aos princípios do bem comum, da dignidade, do combate à corrupção e do respeito pelas instituições do Estado democrático e da Constituição nacional”, acrescentam os bispos brasileiros no documento citado pela agência noticiosa Efe.

O Episcopado lamenta, contudo, o clima hostil da companhia eleitoral, pedindo assim que “se arrumem as armas de ódio e de vingança, que criaram um ambiente de violência alimentado por notícias falsas, discursos e posturas extremistas que põem em risco as bases democráticas da sociedade”.

“Qualquer atitude que incite a divisão [da sociedade], a discriminação, a intolerância e a violência deve ser superada” visando reencontrar “o caminho da paz”, adiantam.

Os bispos brasileiros salientam ainda que os eleitores não devem “calar-se” perante a injustiça.

“Não se pode ficar em silêncio […] quando os direitos humanos não são respeitados, quando a justiça é arrasada e quando a violência se instaura”, concluem.

No domingo, os candidatos Jair Bolsonaro e Fernando Haddad defrontam-se na segunda volta das eleições presidenciais brasileiras, nas quais 147 milhões de eleitores decidirão quem será o sucessor de Michel Temer na Presidência do país.

Na primeira volta, que ocorreu no passado dia 07 de outubro, o candidato de extrema-direita Jair Bolsonaro conseguiu 46% dos votos, enquanto Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (esquerda), obteve 29%.

Segundo as mais recentes sondagens, Jair Bolsonaro tem 57% das intenções de voto, enquanto Fernando Haddad tem 43%.

Apesar de não referir o nome de nenhum candidato, o comunicado do Episcopado brasileiro relaciona-se com a postura que Jair Bolsonaro tem assumido ao longo da campanha, sendo considerado por muitos como sexista, racista, homofóbico e xenófobo.

Publicidade