O total de aviões fornecidos pela Embraer no ano passado está dividido em 90 aeronaves comerciais e 91 aeronaves executivas.

Em um comunicado, a Embraer destacou que “o volume de entregas para a aviação comercial ficou dentro da estimativa de 85 a 95 jatos comerciais, enquanto a aviação executiva ficou abaixo da previsão de 105 a 125”.

A fabricante de aeronaves brasileira também anunciou que no quarto trimestre de 2018 entregou 33 jatos comerciais e 36 jatos executivos (24 leves e 12 grandes).

A carteira de encomendas firmes da empresa no final de dezembro passado foi de 16,3 mil milhões de dólares (14,4 mil milhões de euros), número inferior aos 18,3 mil milhões de dólares (16,1 mil milhões de euros) registados no final de 2017.

No comunicado, a Embraer enfatizou que desde a sua fundação, em 1969, já entregou mais de 8.000 aeronaves e que estas transportam anualmente cerca de 145 milhões de passageiros. Em média, um dos aviões da empresa descola a cada 10 segundos em algum lugar do mundo.

No ano passado, a fabricante de aeronaves brasileira fechou um acordo com a fabricante de aviões norte-americana Boeing, que deverá criar uma nova empresa no segmento de aviação comercial no valor de 5,2 mil milhões de dólares (4,5 mil milhões de euros).

A Embraer convocou os seus acionistas para uma assembleia-geral que deverá acontecer no dia 26 de fevereiro para aprovar este acordo, através do qual deve vende 80% de sua divisão de aeronaves comerciais por 4,2 mil milhões de dólares (3,7 mil milhões de euros) para a Boeing, que terá a controlo total da nova sociedade.

Além disso, as empresas também concordaram em desenvolver o avião de carga militar KC-390, através de uma segunda empresa dedicada à promoção e desenvolvimento de novos mercados na área de defesa.

A Embraer mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA (65%), em Alverca.

Publicidade